31 de out. de 2020

Teologia Bíblica

Entre o insólito e o anacrônico

José Bernardo.

Recentemente os evangélicos brasileiros falam mais sobre Teologia Bíblica. Essa ênfase coincide com a publicação de Mark Denver pela Editora Fiel. Para aquele autor, a Teologia Bíblica é a segunda das nove marcas de uma igreja saudável. A primeira marca, a pregação expositiva, já era a proposta de um movimento anterior, que preparou o terreno na busca por saúde teológica no cenário de mediocridade pelo inchaço das últimas décadas do século passado. Para o pastor Luiz Sayão, ‘Como podemos observar, a Teologia Bíblica parte unicamente das Escrituras e procura prescindir da filosofia e da Teologia Sistemática, organizando os dados bíblicos a partir da lógica quando pergunta qual o valor do texto bíblico para o intérprete de hoje’. Eu concordo e apenas adjetivaria a lógica da Teologia Bíblica como lógica interna do texto. A Teologia Sistemática, no entanto, parte sempre de uma hipótese filosófica, isto é, de lógica externa, para buscar na Bíblia a sua confirmação. Fazendo isso, não pode evitar a contaminação da exegese por uma hermenêutica antecipada. Também, ao depender da síntese de diferentes revelações Bíblicas, deixa-se assombrar por ilusões dialéticas. Desse modo, a Teologia Sistemática como metodologia, se torna a mãe de todas as heresias.

A AMME evangelizar, nossa Agência Missionária de Mobilização Evangelística, vivenciou a Teologia Bíblica desde o primeiro dia de existência. Ao longo de duas décadas, temos visto, ouvido e sentido o texto Bíblico para nossa conversão e cura. Também temos ensinado os princípios e métodos que nos levaram à dependência das Escrituras somente. Por isso recebemos com alegria o movimento recente pela Teologia Bíblica, embora ainda tímido e pouco objetivo. Pessoalmente, desencantei-me da Teologia Sistemática nos primeiros meses do seminário e divisei que estudar a Bíblia não poderia significar conhecer dogmas institucionais, por mais versículos que fossem citados nas margens. Como pregador itinerante e depois como pastor, a Teologia Bíblica cresceu como meu fundamento de fé. Acerca de qualquer coisa, eu creio no que a Bíblica diz. Busquei uma exegese cada vez mais objetiva, livre de pressupostos dogmáticos; o texto é o dogma. Também olhei para a hermenêutica e a liturgia como consequentes, submissas à exegese, em uma exclusiva leitura indutiva. Nesse esforço diário, desenvolvi e compartilhei hábitos e recursos que se tornaram a 'praxis theologiae' de nosso ministério. Com isso superamos a abjeta teologia relacional desses dias de analfabetismo bíblico, isso sem retroceder para uma anacrônica teologia proposicional. Chegamos a uma teologia proposital. Hoje, nossos obreiros mais jovens são exercitados nessa prática através do programa que chamamos Cathedra Christi.

Estou convicto de que a saúde da Igreja Brasileira depende, antes de qualquer coisa, da Teologia Bíblica. Nossa Igreja deve submeter-se à Palavra de Deus sem contaminar seu entendimento com o ‘legado dos anciãos’. A Teologia Bíblica, por outro lado, esvaziará o ofício daqueles que fazem do mistério a sua profissão. Considerando a infinita superioridade da Palavra de Deus, única medida, mesmo diante da tradição e do magistério, ‘Sola Scriptura’ será que cada crente seja ‘Homo unius libri’, por isso seremos temíveis. Infelizmente, os teólogos passam mais tempo explicando o que Sola Scriptura não é. Então, receio que não experimentemos plenamente o poder da Palavra de Deus como Igreja, enquanto a Teologia Bíblica for explicada por teólogos sistemáticos. Para eles deve haver uma conciliação entre falar a Bíblia e falar sobre a Bíblia. No início do sexto século, o texto bíblico já não vence os dogmas e a fé se tornou novamente a concordância com burocráticas declarações conciliares, incapazes de fazer viver em justiça. Mas nós insistiremos nisso, crendo que ouviremos mais líderes dizerem como o pastor de uma igreja que participou recentemente de nossa oficina de método indutivo: ‘Nossa igreja será uma igreja bíblica’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.