15 de ago de 2017

Lutando

José Bernardo
  
Aprendi que a santificação está na luta, não no título, está na arena, não no pódio. Quando eu era menino, tinha a expectativa de que em um determinado culto, em uma certa oração, eu seria livre de todo desejo pecaminoso e viveria em total santidade. Sempre que falo sobre esse tema, ainda encontro pessoas com o mesmo pensamento. 

‘Urijah Faber’ by Daniel Peci

Algumas estão iludidas, projetando para um futuro ideal a sua vida em santidade. Outras, embora acreditem nisso, acham que não serão capazes de alcança-lo. Há também quem tenha desistido de crer, que vive em pecado pois acha a santificação impossível. O apóstolo Paulo, porém, apresentou frequentemente o enfrentamento do pecado como luta e como esporte. "Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar. Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado” 1Co 9:25-27. Essas duas ilustrações trazem algumas lições importantes: a primeira, que se santificar não é algo fácil, exige perseverança, grande esforço e até dor; a segunda, que a santificação é valiosa pelo processo, não apenas pelo resultado; a terceira, que, como luta e como esporte, o processo da santificação deve ser desejável e prazeroso para quem decidiu se santificar. O serviço militar era a maior chance de mobilidade social para um jovem na época de Paulo. Depois de engajado, o soldado aspirava por uma boa luta, era então que ele poderia mostrar seu valor e conquistar prêmios, promoções e riqueza. Para se manter em condições de lutar e vencer, o jovem se esforçava no esporte, obrigando seu corpo a difíceis e dolorosos desafios, cuja vantagem estava no processo principalmente e não apenas no resultado final. Quando vemos um atleta ou um lutador se esforçando, sofrendo, cheio de dores e cansaço em seus treinos, devemos lembrar que a nossa santificação funciona assim. Ela é difícil e até dolorosa, nosso corpo é privado do conforto e levado ao extremo. A santificação acontece enquanto exercitamos o domínio do espírito sobre a carne. Ninguém é esportista somente pelo momento da premiação. Também, o que faz um santo é o exercício diário da santificação. Pratique a santidade. Pratique a Bíblia.

............................................
José Bernardo
Siga o meu blog: www.sejamsantos.org
curta minha página: www.fb.com/josebernardo.job
siga-me no Instagram: @josebernardo.amme 
............................................
#JoséBernardo #SejamSantos

2 comentários:

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.