9 de ago de 2017

Justiça

José Bernardo


Aprendi que um erro não justifica o outro. Essa lição simples, que minha mãe repetiu tantas vezes nos conflitos entre as crianças, tem o sólido fundamento de que nossos erros não podem ser justificados, e nós mesmos somente somos feitos justos pela morte e ressurreição em Cristo (Rm 6:7). Mas isso não significa que, sendo pecadores, sejamos incapazes de tratar dos pecados de outros. 

Christ and Woman Taken in Adultery, 1886-1887 by Vasily Polenov 

Recentemente, o pecado de mais um famoso gospel veio à tona, e novamente há um coro liberal cantando, 'quem não tem pecado atire a primeira pedra'. Dizem isso como se a nossa condição de pecadores fosse um impedimento para enfrentarmos o pecado na Igreja. Dizem isso como se Jesus houvesse concordado e apoiado o pecado da mulher adúltera. Mas o Senhor disse: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado” Jo 8:11. Antes, Jesus usou o termo 'acusadores' para se referir aos homens que a haviam trazido. Era o termo usado entre os judeus para se referir a Satanás. Jesus se opôs a que sejamos acusadores de nossos irmãos. Jesus também perguntou se alguém a condenava, como não, disse que ele mesmo também não a condenava. Essa Palavra reflete bem o termo no original, pois trata-se de um julgamento para punição apenas. É interessante que Jesus não questionou a justa Lei contra o adultério, mas a aplicou em sua essência, naquilo em que a Lei satisfaz a santidade de Deus, em remover o pecado do meio do povo de Deus (Dt 22:22): abandone sua vida de pecado. Isto sem mencionar que estava em perspectiva uma verdadeira morte para a justiça, a morte do velho homem, uma morte que permite a justificação e uma nova vida para a glória de Deus. Portanto, mesmo sendo pecadores, mesmo correndo o risco de pecar, não somos chamados à omissão diante do pecado de nossos irmãos. “...lembrem-se disso: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados” Tg 5:20. Portanto, se pecarmos e quisermos permanecer no pecado, não teremos parte no Reino de Deus. Se nos tornarmos acusadores de nossos irmãos como Satanás, se nos dispusermos a condená-los, o Senhor Jesus nos resistirá. A missão de Deus para nós é converter os pecadores do erro do seu caminho. Para isso a oração de um justo é poderosa e eficaz!
............................................
Siga o meu blog: www.sejamsantos.org
curta minha página: www.fb.com/josebernardo.job
siga-me no Instagram: @josebernardo.amme
............................................
Foto: Christ and Woman Taken in Adultery, 1886-1887 by Vasily Polenov (detalhe)

Um comentário:

  1. Pastor José Bernardo, a paz!
    Otima explicação e visão acerca do tema. Hoje em dia a nação "gospel" é muito "cool" e acha devemos nos omitir ou omitir o pecado do outro para que seja sarado ou livre do pecado!Só Deus pra nos auxiliar nessa batalha!

    ResponderExcluir

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.