16 de jul de 2017

Positiva

José Bernardo

Aprendi que a Palavra de Deus é positiva. Embora a religiosidade seja perversamente construída sobre o ‘não’, a vontade de Deus se manifesta sobre o ‘sim’. Deus prefere apontar o que é melhor para sermos, termos, fazermos e estarmos. Infelizmente as pessoas se concentram nas restrições e proibições e isso dificulta sua compreensão de qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. É possível que essa tendência negativa seja determinada pela pressão da própria vontade carnal, que é contrária a Deus. 


Um bom exemplo é o que Paulo disse a Timóteo: “Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, juntamente com os que, de coração puro, invocam o Senhor” 2Tm 2:22. A maioria dos religiosos se lembra da expressão ‘Fuja dos desejos’, mas a ênfase do texto está sobre seguir a justiça, a fé, o amor e a paz em comunhão. Não somos bem-sucedidos na santificação quando estamos apenas fugindo de algo negativo. É quando temos definido um alvo positivo, quando queremos alcançar algo melhor, então nos santificamos efetivamente. Um exemplo prático dessa divergência é o complexo religioso do ‘ex’. Alguém que se converte e deixa as drogas corre o risco de se tornar um eterno ‘ex-drogado’, ou seja, torna-se nada, uma postura negativa. Como seria se o esforço da Igreja e da pessoa estivesse em tornar-se uma nova criatura? Então teríamos uma postura positiva. Outro exemplo é a economia de menções bíblicas sobre as perversões sexuais. A Bíblia fala pouco e sem detalhes sobre parafilias, não parece tão interessada em coibir desvios nos comportamentos sexuais, mas fala muito sobre o plano perfeito de Deus para a família. Então, não deveríamos nos ocupar em discutir tanto sobre as proibições de Deus ao homossexualismo, por exemplo, mas nos concentrarmos na perfeita vontade de Deus para a família: um homem, uma mulher e os seus filhos. Jesus não estava interessado em apedrejar a mulher adúltera, ele se concentrou em criar condições e instruí-la a que não pecasse mais. Ainda um outro exemplo é a interpretação que Jesus deu aos mandamentos, mostrando que cada proibição na Lei Divina tem uma intenção positiva. Quando nos concentramos na proibição, nossa justiça não supera a dos fariseus. Devemos preferir e buscar ativamente o que Deus quer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.