21 de fev de 2017

Exercitando a gratidão

10/100

“Se faz de porco vesgo
para comer em dois coxos!”

Aqui está outro interessante dito gaúcho, bem ligado ao ambiente rural. Vesgo é quem tem estrabismo, condição em que, devido à falha no alinhamento dos olhos, enxerga imagens duplas. No caso de nosso dito, o porco não é vesgo, mas finge ser, isso para ter a desculpa de comer sua comida e também a dos outros. Essa é uma imagem bem sarcástica da expressão de quem tenta obter uma vantagem indevida. O porco foi escolhido justamente por representar a glutonaria, a falta de comedimento, indicando que a causa desse comportamento é, de fato, a cobiça. Lembrei desse dito ontem, quando esperava no final da fila para embarcar no aeroporto de Abu Dhabi e vi uma mulher entrando bem à frente, fingindo não ver que estava no lugar errado, exatamente como um porco vesgo.

A Palavra de Deus
"Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença" Êxodo 20:17.

[V] A ideia de cobiçar algo é a de sentir prazer em algo que não se tem, o que é do outro. Esse prazer inoportuno pode se dirigir a qualquer coisa ou pessoa. No contexto dos Dez Mandamentos, observamos que, quando transgride esse, a pessoa desobedece também a vários outros mandamentos, e principalmente se opõe à soberania de Deus que deu ao próximo e não a si aquilo que busca como objeto de prazer.

[O] Não é difícil perceber que, quando a pessoa acha seu prazer naquilo que é do outro e passa a deseja-lo para satisfazer-se, não tem prazer nas coisas que possui e nem se satisfaz com elas. Portanto, a falta de contentamento e de gratidão é a causa da cobiça. Desenvolver um espírito grato, contente com o que recebeu de Deus, ajudaria a pessoa a desviar-se da cobiça.


[S] Se você tem sido uma pessoa descontente, incapaz de se sentir alegre com o que recebeu de Deus, estará sempre desejando comer no outro cocho, sempre querendo aquilo que os outros receberam. Então, confesse esse pecado a Deus, admita que não está reconhecendo a sabedoria e o poder dele ao lhe dar tudo o que você precisa ter. Comece a exercitar a gratidão, agradecendo e achando alegria nas coisas que Deus lhe deu. Procure repartir aquilo que recebeu, pois, a generosidade é o poderoso antidoto para a cobiça. Um espírito grato é a melhor forma de louvar a Deus e reconhecer sua grandeza é um poderoso testemunho de fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.