7 de ago de 2014

Evangelização: uma questão de semântica

Muitas vezes ouvimos as pessoas escaparem de um debate de definição com a frase 'isso é apenas uma questão de semântica'. Derivado do gr. 'sema' que significa 'sinal', semântica é o estudo dos significados dos sinais, inclusive palavras, que utilizamos para nos comunicar. Isso não pode ser desprezado. Um debate semântico é fundamental em qualquer esforço comum.

Há uma discussão transversal a vários campos do conhecimento: se a palavra gera o pensamento ou o pensamento gera a palavra. Meu conhecimento empírico é de que a palavra gera o pensamento. Não conseguimos pensar se não temos a palavra (signo e significado) que expresse aquele pensamento. Por outro lado, se temos a palavra, o pensamento será determinado pelo significado que está associado a ela em nossa memória.

Um momento em que enfrentamos esse problema foi quando desenvolvemos na AMME o programa evangelístico ‘Caminho da Paz’ que ajuda adolescentes a enfrentarem o bullying, de longe a principal estrutura maligna que afeta as pessoas nessa idade. O problema é que nossa cultura não tem uma palavra para bullying, então esse tipo de violência não é pensado, não é percebido. A palavra utilizada para identificar o fato é ‘brincadeira’, o que não confere o significado de violência e, portanto, não gera a resposta correta. Enfrentamos esse problema fundamental utilizando a expressão ‘Violência Repetida entre Colegas’, que às vezes reduzimos como ‘VRC’. Aqui não vou falar do penoso trabalho de inserir um ‘sema’ em uma cultura.

De modo semelhante, o maior desafio que enfrentamos na AMME evangelizar, é justamente com o termo ‘evangelizar’. O significado dessa palavra para a comunidade evangélica é ‘distribuir folhetos dizendo Jesus te ama’. Isso faz com que aqueles que evangelizam estabeleçam alvos, planos e ações que ficam aquém da evangelização bíblica. Também faz com que os crentes teóricos classifiquem a evangelização como ineficiente, ineficaz e não bíblica.

Em nosso ministério definimos evangelização como ‘tornar conforme o Evangelho’ – isto é, a pregação da palavra de Deus que produz fé e salvação holística ‘sozo’. Evangelização, então, não tem a ver com aumentar o número de membros, ou insultar as pessoas, ou debater religião. Evangelizar só tem a ver com a transformação que Deus, em sua soberania, decidiu promover usando a Igreja como cooperadora. É difícil levar a Igreja a cumprir sua missão bíblica sem levar a semântica a sério.

Um comentário:

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.