1 de abr de 2014

Comichão nos ouvidos

Tempo de leitura 2 minutos
06 da série Cartão Vermelho

Ainda outro aspecto da crise espiritual que tem levado tantos crentes a saltarem de uma igreja para outra é a crise de fé. Não bastasse que fé fosse confundida com crendice e misticismo e não com conhecimento da Verdade, certeza e prova, ainda temos uma prova cada vez mais individualista, cada vez mais particular. Paulo, dando as últimas instruções ao seu sucessor antes de morrer, procurou desenhar um cenário bem definido do que ele deveria enfrentar. Ao traçar o perfil egocêntrico e egoísta, entre tantos vícios que também afetam a fé, o apóstolo disse que os homens seriam ‘mais amigos dos deleites do que de Deus’, teriam ‘aparência de piedade, mas negando a eficácia dela’, e seriam pessoas que ‘aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade’ (2Tm 3:1-9).


Ao falar de sua própria perseverança, testemunhada pelo filho na fé, resumindo-a com três termos esportivos, “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” 2Tm 4:7, Paulo coloca isso na perspectiva das dificuldades que Timóteo encontraria ao pregar, redarguir, repreender e exortar pessoas que “... tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências” 2Tm 4:3. A crise da fé é caracterizada por crenças originadas nos da carne influenciada pelo pecado.

A maioria dos crentes identifica rapidamente as duas primeiras referências de Paulo ao esporte: “Combati o bom combate” refere-se às lutas; “acabei a carreira” refere-se à corrida. O terceiro relato, “guardei a fé”, também é uma referência ao esporte, trata da observância das regras que se requer do atleta, para que não seja desclassificado. O problema é que os crentes estão inventando suas próprias regras e sendo fiéis ao regulamento que escolhem. Desse modo recebem cartão vermelho, são expulsos e não podem receber o prêmio que o justo juiz dá.

Nesse cenário em que cada um acredita no que quer acreditar, os crentes vem e vão, achando-se indivíduos, livres para irem de uma igreja a outra, procurando a que esteja mais de acordo com seus desejos egoístas e egocêntricos. Paulo disse aos filipenses que o deus deles é o ventre (Fp 3). Nesse cenário somos chamados a nos firmar na Palavra, afinal, a verdadeira fé vem de ouvir a Palavra de Cristo (Rm 10:17). Ouça e persevere!

Um comentário:

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.