17 de mar de 2014

O ramo que não dá fruto

Tempo de leitura: 2’30’
01 série Cartão Vermelho

Tenho incentivado a Igreja a evangelizar pregando contra a corrupção nesses dias de grandes eventos esportivos. Através do conhecimento da Verdade a mente das pessoas pode ser mudada e então elas vão ‘jogar limpo’ em suas relações, desde a família e em todas as instâncias da sociedade. A questão é que há muita corrupção para enfrentar dentro da Igreja também, e boa parte dela está relacionada ao trânsito de membros, à infidelidade dos que deixam suas igrejas e aos interesses escusos dos líderes daquelas que os acolhem na ganância do crescimento artificial. Por isso, nos próximos artigos dessa série quero me dedicar a esse tema.


De modo geral, considera-se que quem saiu da igreja fez isso porque quis. Contudo, se você olhar para o que Jesus disse na noite em que foi traído terá uma ideia bem diferentes. Veja: “Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda para que dê mais fruto ainda.” Jo 15:2. Quando uma pessoa não dá frutos, quando sua vida não produz resultados em si mesma e na vida dos outros, é Deus quem se encarrega de afastar tal pessoa. Por isso mesmo é tão frequente que, antes de se afastar, um crente comece a ‘entregar seus cargos’ e passe por um período de inatividade. Depois ele pode até achar que se afastou espontaneamente da Igreja, mas, na verdade, foi arrancado dali por Deus.

Cada crente deve ser produtivo. Para isso fomos chamados por Jesus, para dar frutos, que em João 15 são de dois tipos: o fruto do Espírito, o progresso espiritual em nossa própria vida e a transformação de outras pessoas através de nosso ministério. Um pastor que queira manter seus membros deve insistir nisso, que todos estejam produzindo resultados em sua vida pessoal e na vida de outros. Crentes assim agradam a Deus, são verdadeiramente úteis na Igreja e permanecem, apesar das dificuldades.

Se você está em um momento de pouca conexão com sua Igreja, se está até pensando em sair por ai procurando um lugar mais interessante, convido você a fortalecer primeiro sua comunhão com Cristo pela oração e pela Palavra, e depois a assumir sua posição na Igreja como membro produtivo. Faça tudo para não ser cortado da videira verdadeira, para não se tornar um galho de folhas secas, levadas pelo vento ali e acolá. Cuide para não tomar um cartão vermelho e ser expulso do campo. Produza frutos que permaneçam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.