1 de mar de 2014

Desagravo

Leitura: 4 minutos
Reflexão que apresentei no encerramento do segundo dia do 4º Encontro para a Consciência Cristã Teen em Campina Grande – PB, sob o tema ‘A família e a independência do adolescente’, lembrando que o individualismo que se confunde com independência também leva os adolescentes a buscarem a satisfação de seus desejos carnais.

“Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres.” Mateus 26:39.

Creio que as gerações anteriores devem se desculpar com os adolescentes que estão na Igreja hoje. A igreja lhes deu a impressão de que o culto, a adoração, a oração, as ofertas e até a santificação, quando ela existe, se destinam a conseguir que Deus faça aquilo que queremos. Esse ensino herético foi tão intenso que a maioria dos crentes confunde a piedade com a prática religiosa que quer levar Deus a fazer o que a carne quer, o que os próprios pensamentos e sentimentos nos fazem desejar. Sendo escravos da carne, queremos fazer de Deus escravo dela também. Isso não é cristianismo, é uma espécie de paganismo – fazer oferendas para obter graças. Depois, muitas pessoas se frustram em sua experiência com Deus e até abandonam a fé, pois Aquele que Reina sobre todos e sobre tudo não se curva aos desejos humanos contaminados pelo pecado.

Em nome dos homens e mulheres que ensinaram um falso evangelho em minha geração e nas gerações anteriores eu peço perdão. Minha oração é que essa geração ainda encontre o verdadeiro Evangelho que Jesus pregou com muitas palavras e demonstrou com sua própria vida, morte e ressurreição: o Evangelho do Reino, o Evangelho do Governo de Deus em Cristo. No verso que lemos, aquele momento na vida de Jesus nos ensina que as vontades de sua carne não sumiram. O instinto de sobrevivência, as necessidades fisiológicas e emocionais
continuavam exigindo sua atenção. Mas Jesus estava completamente submisso à vontade de Deus, ao ponto de ignorar aquilo que seu ser desejava e clamava insuspeito. Ele não queria, mas como foi a vontade do Pai ele enfrentou até mesmo a humilhação, o sofrimento e a morte.

Jesus se apresentou como exemplo para nossa vida, para nos mostrar que também precisamos viver assim, conscientes de nossos desejos e necessidades, mas dispostos a colocar isso em segundo plano, para fazer a vontade de Deus. Tendo vivido o Evangelho que anunciou, Jesus recebeu toda a autoridade na Terra e nos Céus, e adquiriu para si povos de todas as tribos, línguas e nações. Por causa da obediência de Jesus fomos salvos. Portanto, adolescentes, rogo a vocês que coloquem de lado suas próprias vontades e orem com insistência para aprenderem aquilo que Deus quer. A vontade de Deus é melhor. Nisso sua família natural e também a família espiritual são muito importantes. Pode ser que, estando sozinhos, nossa carne nos engane, mas Deus usará o pai, ou a mãe, ou os irmãos quando eles falarem conforme as Escrituras. para revelar sua perfeita vontade. Quanto a vocês, lembrem-se de também serem a voz de Deus em seu lar, para que ninguém faça o que a carne quer, achando que Deus quis assim.

Pense agora sobre uma área de necessidade em sua vida. Pense sobre algo que queira muito e aproveite para se apresentar a Deus sobre isso, orando como Jesus orou: “não seja como eu quero, mas sim como tu queres.”. Conte com sua família em casa e na igreja para viver o verdadeiro Evangelho do Reino de Deus em Cristo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.