25 de fev de 2014

A família e os papeis masculino/ feminino

A confusão dos papeis a partir do movimento feminista e o impacto na formação do adolescente.

Série: A família do Adolescente
Tempo de leitura: 3’24’’

Por todo lado ouço líderes de adolescentes se queixando do aumento de casos de meninos efeminados e de meninas masculinizadas. É inquestionável que os papéis de homens e mulheres são diferentes já que o dimorfismo sexual não deixa dúvidas sobre isso. Não são somente os órgãos sexuais, mas também as características sexuais secundárias e até mesmo o sistema neurológico definem funções sociais diferentes. Mas que funções são essas? Aqui o coletivo tem uma função normativa, e deveria ajudar os adolescentes na definição de sua identidade, já que a identidade de cada pessoa se estabelece em relação às outras: ser homem é ser como os homens e, portanto, não como as mulheres. O problema é que o movimento feminista tentou levar as mulheres a serem como os homens, descaracterizando o papel social tanto da mulher como também dos homens. Sem a orientação social e dependendo unicamente da experiência e escolha egocêntricas, o adolescente não acha o caminho da definição conforme Deus.


Cremos que há um papel para o homem e um papel para mulher, que se define principalmente na família. Também cremos que homens e mulheres mais velhos, particularmente os pais, devem causar o aprendizado desses papeis nos mais jovens, seus filhos. Embora a fisiologia, em um mundo pecaminoso, hedonista e sedutor, o plano de Deus para o homem e para a mulher pode ser corrompido pela falta de ensino conforme a Palavra de Deus.

Nossa esperança é que os homens resgatem seu papel na família pelo conhecimento da verdade, e as mulheres igualmente achem salvação em cumprirem sua função como mulheres. Em um tempo semelhante ao nosso, de instituições enfraquecidas e moral relativizada, Paulo usou o esporte como a última linguagem capaz de explicar a importância da santificação. Pensando assim deveríamos dizer que os papeis do homem e da mulher são como posições no futebol. Se o goleiro, por exemplo,
decidir sair de sua posição para jogar em outra, todo o time será prejudicado e o jogo perdido. Enquanto o treinador e a torcida forem capazes de gritar para o goleiro se manter em sua posição é mais provável que ele fique ali. Quando ninguém mais se preocupar com as posições, é possível que o goleiro decida seguir sua própria vontade.

Aqueles que querem perverter os papeis sexuais acusam de serem apenas educacionais. Embora não seja apenas educacional, sabemos que o ensino tem um papel decisivo nesse processo de definição, como tem em qualquer área afetada pelo pecado para nos desviar da vontade de Deus. Portanto, a família e a igreja devem se esforçar em ensinar pelo modelo, pela Palavra e pela experiência os meninos a serem homens e as meninas a serem mulheres; a ocuparem cada um a sua posição.

Dentro desse tema devemos dar particular atenção a assuntos como: de que modo o conhecimento da verdade leva à libertação; qual a condição masculina e feminina na família cristã hoje; que ações práticas rapazes e garotas podem fazer para superar os efeitos destrutivos do feminismo; que ações práticas adolescentes que sofrem com a tentação do homossexualismo podem assumir para superar o pecado.
.......
Este será o tema do terceiro dia da Conferência 'Fala Moçada' da Consciência Cristã Teen no sábado - 01/03/20014 - 19h às 21h. Depois os adolescentes serão encaminhados para o auditório principal para a palestra de Paul Washer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.