22 de fev de 2014

A Igreja tamanho família

Série: A família do adolescente
Leitura: 4 minutos #TeEnvolve

Nós somos a família de Cristo. Jesus não deixou dúvidas sobre isso: “Ele lhe respondeu: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a praticam.” Lucas 8:21. Essa ideia exposta em um momento dramático, quando o cuidado familiar ameaçava sufocar a continuidade do ministério de Jesus, tem implicâncias eternas, espirituais, e não somente isso. Entender que, em Cristo, formamos uma família transcendente também traz implicações temporais e afeta o cotidiano.


Diante desse poderoso conceito, a Igreja tem reagido comumente em dois extremos. Primeiro tem ignorado a família secular, tratando as pessoas como se fossem indivíduos que podem vincular-se livremente à Igreja, sem que suas experiências ou ligações permanentes com a família interfiram nos novos vínculos que constroem. Por outro lado, em um instável movimento de pêndulo, surgiram os ministérios de família, estabelecendo princípios irreconciliáveis com as Escrituras como: ‘Deus primeiro, a família em segundo, a Igreja em terceiro’ (sic). Como, então, separaríamos Deus de seu Corpo? Como poderíamos dizer que colocamos Deus em primeiro lugar se o que Ele manda não for nossa prioridade? Como defenderíamos um pensamento em que a família vem antes do seguir a Cristo quando Ele disse: “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim;” Mateus 10:37?

Essa tensão entre pessoa, família e Igreja torna-se ainda mais intensa quando tratamos de adolescentes. Aqui há outros dois extremos entre os quais a igreja tem transitado. Quando o adolescente é visto como dependente da família, muitas vezes é ignorado como membro da Igreja, a liderança prefere resumir seu trabalho aos adultos e o ministério com adolescentes se torna uma creche teen para entreter os filhos dos crentes. Por outro lado,
quando os adolescentes são vistos como pessoas capazes de fazerem parte do Corpo de Cristo, a família, que sempre tem enorme influência na vida deles, é frequentemente esquecida.

Por trás de toda essa dificuldade está a assimilação de um conceito mundano: o individualismo. De algum modo, em algum momento, a Igreja deixou de lado o conceito bíblico da pessoa como membro especializado de um corpo social pela ideia egocêntrica de que o corpo define o indivíduo. Não vendo ligações físicas aparentes entre as pessoas, considera-se que estão separadas. Assim, as ideias como de ‘uma só carne’ e do ‘Corpo de Cristo’ tornam-se apenas figuras de linguagem, com pouco significado real. A adoção do pensamento mundano do individualismo facilitou a entrada do pecado, de modo que o divórcio, o adultério, a fornicação, o homossexualismo, a alienação parental, o aborto, encontram cada vez mais espaço para transitarem livremente na Igreja.

Nesse contexto em que se acha tanta dificuldade para considerar a família e a Igreja na mesma página, a solução de Deus ainda é a mesma: submissão. O marido submisso à missão dada pelo Pai em Cristo, a esposa e os filhos debaixo dessa mesma missão, formam a unidade indivisível, o indivíduo social que compõe a Igreja, também um indivíduo social e indivisível. A Igreja deve apoiar o ministério dos adolescentes considerando-os no contexto da família, afinal, “O corpo não é feito de um só membro, mas de muitos.” 1Coríntios 12:14.

À luz dessa urgência, tenho trabalhado no último ano pesquisando e criando sobre o tema do adolescente em família. No final de setembro, em Maringá – PR, nosso ministério realizou em parceria com o TSBR da OM um treinamento para líderes de adolescentes focando esse tema e ainda falamos em continuar com esse treinamento em outras cidades e regiões. Agora, na Consciência Cristã Teen, voltamos ao assunto, falando aos próprios adolescentes junto com alguns dos mais importantes preletores do país. Pessoalmente, sinto uma firme direção do Espírito Santo para continuar aprofundando esse tema e o farei conforme o Senhor me conceder.

O 4º Consciência Cristã Teen acontecerá paralelamete às concentrações noturnas da 16ª Consciência Cristã. O evento é aberto ao público de 13 a 18 anos. O evento acontecerá de 27 de fevereiro a 04 de março de 2014, no Pavilhão Jovem, em Campina Grande, e será uma das programações paralelas da 16ª Consciência Cristã.  www.facebook.com/conscienciateen/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.