7 de jan de 2014

Investimento em missões

Outro aspecto que mostra o esforço de Neemias em obter resultados é o investimento. Da minha carreira na administração de marketing aprendi que boas ideias não se tornam automaticamente bons negócios. É preciso haver investimento suficiente para fazer uma boa ideia produzir resultados. Neemias começou sua jornada levantando o capital necessário para seu empreendimento. O resultado que ele esperava obter era restaurar Jerusalém como a capital da adoração a Jeová. E o investimento para isso não era pequeno.

No final do capítulo 7 temos uma ideia dos recursos que ele ainda levantou depois, em Jerusalém: 328 quilos de ouro, 2.520 quilos de prata, 597 vestes sacerdotais. 


É difícil dimensionar o valor dessas coisas em um tempo em que a extração de minério era tão primitiva e a economia era tão diferente da nossa. Vamos considerar que o ouro captado, representando um pouco mais de cinco talentos ou mais de 300 minas, valeria pela cotação de hoje quase 32 milhões de reais. Já os 2.520 quilos de prata custariam agora mais de 4 milhões de reais. Em outra conta a prata seria suficientes para pagar 630.000 dias de trabalho a um denário (4 gramas) por dia. Ao salário mínimo atual, um diarista ganharia R$ 35,00 por dia, então aquela prata teria valor equivalente a 22 milhões de reais em nosso mercado de trabalho. Levando em conta que o dia de trabalho hoje é de pouco mais de 8 horas, mas naquele tempo era de 12 horas, a conta chegaria próxima dos 30 milhões de reais. Pensando ainda em 597 vestes sacerdotais, que eram de materiais nobres, linho, púrpura e bordados e poderiam custar pelo menos uns 500 reais cada uma, temos outros 298 mil reais de investimento. Foi o que Neemias achou que era razoável investir para restaurar a adoração em Jerusalém.

Para fornecer tanta prata e o ouro hoje seriam necessários 36 milhões de reais e Neemias mostrou a importância que dava aos resultados doando mais de um milhão de sua fortuna pessoal.

A missão da Igreja é evangelizar para produzir vidas submissas ao Reino de Deus. Infelizmente a riqueza que a Igreja brasileira administra, nem sempre é investida diretamente na produção dos resultados que Deus espera de nós. Apenas uma pequena parte é destinada à evangelização, local ou transcultural, o restante se perde no processo. Da mesma forma, nem sempre se destinam os melhores obreiros para a atividade fim, para o cumprimento do propósito, nem se procura envolver mais pessoas, nem há significativo esforço para estabelecer melhores padrões de qualidade. O fato é que a Igreja se perde em uma infinidade de atividades, pouquíssimas delas ligadas ao real propósito de sua existência.

(Do livro Subindo para missões, José Bernardo - Cap. 7)

Se o meu ministério tem sido uma bênção para você e deseja cooperar financeiramente, deposite sua oferta para José Bernardo, Banco Itaú, ag. 3785, c/c 07051-1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.