3 de dez de 2013

6. Superando a departamentalização

Aos pastores do rebanho de Cristo, o sumo pastor, com orações para que guiem as ovelhas ao cumprimento da vontade do Pai. Alegria e paz do Senhor. Escrevo a vocês sobre a estrutura necessária para a igreja cumprir sua missão essencial. A maioria das igrejas, por muito tempo, têm se organizado em departamentos. Esse tipo de estrutura traz diversas vantagens, principalmente no que se refere à eficiência na gestão dos recursos, no controle dos processos e resultados e particularmente na especialização das funções. Organizadas em departamentos as igrejas podem reunir dons e talentos onde eles são mais necessários. Novas eclesiologias, como as igrejas em células, ainda experimentam micro departamentalizações, com três, dois ou mesmo um membro, dedicados a uma determinada função conforme seus dons, conhecimentos e habilidades.

Mas, ao lado das vantagens, a estrutura departamental traz um grande problema para que as igrejas cumpram sua missão bíblica. Comunicar o Evangelho como único recurso de transformação de vidas para a glória de Deus é a missão da Igreja e de cada crente. Podemos fazer outras coisas, mas se não evangelizarmos não somos Igreja. Então, quando as igrejas têm um departamento de evangelização, sua missão não se dissemina; fica restrita a um pequeno grupo, enquanto o restante da igreja faz outras coisas. Isso enfraquece a unidade e desabilita os resultados que devem ser apresentados a Deus.

Para que uma igreja seja saudável e fértil, ela precisa de uma estrutura que reposicione a evangelização como a missão da igreja e de cada crente. É necessário que a evangelização deixe de ser um departamento e se torne, sugiro, uma rede que permeie todos os departamentos e ministérios.

De modo prático, recomendo que o pastor nomeie um evangelista para ser seu cooperador mais próximo, com a função bíblica (Ef 4:12) de preparar os santos para a obra do ministério. Esse evangelista vai coordenar o trabalho de outros cooperadores junto a cada líder de departamento e ministério da igreja, sempre com a mesma função bíblica: um evangelista preparando o departamento feminino para evangelizar, outro fazendo isso no departamento infantil, outros junto à banda, ao coro e assim por diante.

Cada evangelista ajudará um líder a definir as estratégias de evangelização que envolverão todos os membros naquele determinado departamento ou ministério. Depois, sob a coordenação do evangelista que assiste ao pastor, organizarão o plano geral de evangelização da igreja, que ajudarão a realizar. Dessa forma se garantirá que a evangelização não seja apenas uma atividade departamental, mas verdadeiramente o cumprimento da Grande Comissão que é de todo crente, em todo o mundo, com todo o Evangelho e para toda a criatura.

No amor evangelizador de Cristo, nosso Senhor,

José Bernardo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.