5 de dez de 2013

A Graça da Lei

4 minutos de leitura

Prezado irmão, alegria e paz do Senhor a você e aos adolescentes que você lidera. Sua mensagem encheu meu coração de alegria quando vi que seus adolescentes têm se aplicado ao estudo das Escrituras e você tem se esforçado para eliminar suas dúvidas. É assim que eles construirão uma fé perseverante.

No que se refere ao dízimo na profecia de Malaquias e a dúvida que isso gerou, permita-me observar alguns pontos mais situacionais do que exatamente textuais que parecem estar na base do problema.

Sobre o público, o livro de Malaquias é uma advertência a Israel (Ml 1:1). O tema do dízimo é destinado aos ‘descendentes de Israel’ (Ml 3:6). Se eliminássemos de nossa observância toda a palavra que não se refere diretamente a nós, pouquíssimo das Escrituras nos seria útil. Paulo, no entanto, diz: Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” 2Tm 3:16. Portanto, nessa primeira situação é preciso fortalecer nos adolescentes a fé de que cada vírgula das Escrituras se refere ao leitor.

Sobre a contextualização, devemos lembrar que a Palavra de Deus é eterna, transitória é a aplicação. Então esse é um problema de hermenêutica e Jesus nos ensinou a resolvê-lo. Em Mateus 5:21-48 há seis bons exemplos de interpretação e aplicação bíblicas. Ali aprendemos que devemos buscar a essência do ensino bíblico para praticá-lo (a fé sem obras é morta). No caso do dízimo, ele é um tributo ou imposto em reconhecimento de que somos escravos de Deus e tudo o que temos pertence a ele. Então como aplicaremos à nossa vida esse ensino da soberania de Deus? É preciso que os adolescentes rejeitem o criticismo bíblico e a seleção de temas e aprendam a buscar a essência ou objetivo do texto, a ser aplicado independentemente da cultura.

Sobre Lei e Graça, há ditos crentes que consideram a Graça como anomia, isto é, um tempo sem Lei. Querem excluir temas que consideram legalistas, como se não estivessem mais obrigados a cumprir a Eterna Palavra de Deus. Graça não é anomia, Graça é o poder que Deus nos dá para cumprirmos a Lei que é boa! Ainda em Mateus, um texto que vai ajudar os adolescentes a entenderem melhor o assunto é Mt 5:17-20. Um bom verso para eles repetirem até memorizar é Mt 5:20 “Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus.”. Que os adolescentes aprendam que, sendo o dízimo Lei, ou superamos isso e fazemos ainda melhor no poder da alegria (graça) que recebemos do Senhor ou ficará claro que não estamos sob o Governo de Deus.

Espero, querido irmão, que o tenha ajudado. Receba meu abraço fraternal e o comunique também a todos os seus adolescentes. Que eles sejam com você, verdadeiros servos da Palavra.

José Bernardo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É bem vindo seu comentário que honre e exalte a santidade do Senhor.